quarta-feira, 24 de agosto de 2011

O pergaminho de perdido

O mundo sempre foi repleto de criaturas maravilhosas e poderosas.
No passado a raça humana foi misturada com muitas criaturas, algumas uniões foram feitas através de experiências insanas enquanto outras foram resultadas de amores impossíveis. Tantas misturas criaram sub-raças.
No começo eram híbridos, discriminados por todos por todos.
O resultado de uma união mantinha as características de ambos os envolvidos e algumas vezes ganhavam características próprias.
Apesar de fraca, a raça humana sempre foi a mais perigosa, sua capacidade de se reproduzir incontrolavelmente e o desejo por poder a tornou dominante no mundo.
Os reis buscavam sempre aumentar seus reinos e destruir tudo e todos que pudessem ser ameaças.
Muitas guerras foram travadas, incontáveis séculos trouxeram caos e devastação ao mundo.
Até que Gaia, conhecida como a mãe do mundo, decidiu selar um acordo de paz com os homens.
Foi concedido aos homens tudo que o sol iluminava com facilidade, os homens não eram capazes de sobreviver nas trevas então aceitaram o acordo.
Ficaram com as planícies e as montanhas, enquanto Gaia e seus filhos de todas as raças ficaram com as florestas densas e com o fundo das águas.
Os mestiços seriam responsabilizados por manter o acordo.
Cinco filhos de reis se manteriam entre os filhos de Gaia enquanto cinco filhos de Gaia ficariam no mundo dos homens enquanto as criaturas desprovidas de razão seriam livres.
Este acordo deu início ao que foi chamado de primeira era dos homens.
Se passaram quatro mil anos desde o acordo.
As notícias se tornaram histórias, as historias se tornaram lendas e as lendas aos poucos foram se perdendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário