sábado, 20 de agosto de 2011

Mais um texto sobre respeito



Eu me considero uma pessoa paciente.
Quando alguém me incomoda eu falo pra pessoa e tento ser compreensivo com o lado dela afinal acredito que é a liberdade e diversidade de idéias que gera a evolução do conhecimento.
Mas liberdade não significa “fazer o que quer”, liberdade significa ter seu próprio espaço respeitando o espaço dos outros.
Estou escrevendo isso por causa de uma coisa que acontece todos os dias comigo e vem me incomodando muito, que é o gosto musical de meu colega de trabalho.
Acredito que eu não seja o único a enfrentar isso.
Eu gosto de rock e odeio axé, desde a pobreza de letra até a voz estridente e desafinada das cantoras, mas, esse é meu gosto pessoal e não cabe a eu fazer outras pessoas deixarem de gostar de axé só por que não gosto, cada um tem liberdade de escolher o que quer ouvir.
O que está em questão aqui não é o gosto musical, afinal todo mundo já teve que aturar um funkeiro sem fone de ouvido.
Estou escrevendo aqui pra demonstrar minha indignação com a parte dessa história que realmente me irrita.
Eu já falei varias vezes que não gosto do gosto musical desse meu colega e pedi para ele usar fone de ouvido (assim como eu faço) ou pelo menos ouvir a música num volume baixo, porém minha irritação parece uma piada para ele e cada protesto a torna mais e mais engraçada.
Eu gosto de brincadeiras e sou até bem humorado, mas quando uma brincadeira se baseia em irritar outra pessoa por longos períodos por vários dias, essa falta de respeito afeta cada vez mais o humor da pessoa.
Nos últimos dias trabalhar tem se tornado uma tortura para mim por causa do gosto musical de meu colega, como resultado eu mesmo estou mais “pavio curto” do que de costume.
Em contra partida esse mesmo colega não suporta as musicas que eu gosto de ouvir então, em respeito a ele, eu evito deixar o som alto.
Ou seja, ele exige o respeito que ele mesmo não oferece.
Acho que respeitar para ser respeitado é uma lei universal, mas essa é a lei mais desobedecida do universo.
Acho que escrever essa mensagem vai tornar ainda mais divertido me expor a essas musicas irritantes, porém eu estou contando com a compreensão de meu colega que, ao ler esse texto, verá que estou realmente incomodado, não com o tipo de música que ele gosta e sim com o fato de que ele não respeita meu espaço e o meu direito de não ouvir essa musica.
Esse texto fala de gostos musicais, mas eu acho que os mesmos argumentos poderiam ser usados em sociais de maior importância como o respeito entre pessoas de religiões diferentes ou de visões políticas diferentes.

Um comentário:

  1. Adorei o texto, estamos com saudade de seus comentarios inteligentes no http://perolasdemurilogun.blogspot.com/, abraço, vida longa ao seu BLOG

    ResponderExcluir