domingo, 10 de abril de 2011

Paciente 2208 - O nome

Bom dia doutora Ângela, estava aguardando sua visita.
- Bom dia, você parece estar de bom humor hoje.
Estou bem, obrigado. Estive pensando em nossa última conversa.
Apesar de não concordar com algumas coisas eu preciso me adaptar a elas.
- O que quer dizer?
Doutora, você está tão acostumada a usar nomes que acho que eu também preciso de um nome para que você possa se referir a mim com mais conforto.
- Mesmo dizendo que não gosta de nomes, você sempre se refere a mim como “doutora Ângela”...
Decidi te chamar da forma que você mais gosta de ser chamada, mas certamente você já foi chamada de vários nomes como: moça, irmã, senhora, senhorita, doutora, entre outros.
- Então imagino que eu deva perguntar: como você prefere ser chamado?
É uma boa pergunta, pode me chamar de Lucius.
- Lucius?
Sim, vem do grego e significa luz.
- Então você é um ser iluminado?
Ainda não. A sabedoria é a luz mais pura que existe. Ela é capaz de iluminar a todos que a procuram com esperança e determinação, até mesmo quem não possui olhos é capaz de ver a beleza dessa luz.
Eu sou apenas alguém que busca a sabedoria, por isso decidi que, ao me apresentar não direi apenas uma forma de se referir a mim, mas também o objetivo que tracei para minha vida.
- E como saberá que alcançou seu objetivo?
Minha jornada é como toda jornada, só terá fim quando o Sol não for mais capaz de perturbar meu sono.
- Uma jornada sem fim?
Uma jornada cujo fim está além do que eu posso imaginar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário