domingo, 13 de fevereiro de 2011

Críticas a drogados - Alcoólatras

Eu normalmente me seguro quando falo desse tema por que quase todas as pessoas que eu conheço são usuários de drogas lícitas, ou seja, álcool e/ou cigarro.
Mas minha opinião é mesma, independentemente de eu publicá-la ou não.
Resolvi então que vou publicar minha opinião e quem for meu amigo de verdade não vai deixar de ser meu amigo por causa disso.
Primeiro quero deixar claro que eu odeio álcool e cigarro então, se você gosta dessas coisas e não suporta a opinião de que isso faz mal, melhor não continuar a leitura.
Todas as pessoas que fumam e bebem são suicidas.
Isso não é uma opinião e sim um fato que pode ser constatado em uma rápida pesquisa na internet ou no verso das caixinhas de cigarro.
Vou falar apenas de álcool nesse post para separar os temas para não ficarem tão grande os textos.
Eu separo as pessoas em 3 tipos, as que não usam drogas, as sóbrias e as bêbadas.
Muitos dos meus amigos bebem, é possível conviver com eles sem problemas, mas quando estão sob efeito de seus “alucinógenos” eu prefiro tratar como desconhecidos.
Por essa razão evito lugares onde das pessoas bebem.
MUITAS experiências ruins me levaram a ter essa conduta, prefiro ficar sozinho numa noite de folga do que perder uma amizade por causa de uma noite de idiotices.
As pessoas confundem diversão com alcoolismo e calma com cigarro. Para essas pessoas é impossível se divertir sem beber e não é possível se manter calmo sem cigarro.
Se divertir com bebida significa encher a cara até ser incapaz de ver ou pensar direito. Basicamente bebem para não ter que assumir a responsabilidade do que fazem.
Além de não terem coragem para agir enquanto sóbrio, ainda se escondem atrás de um liquido.
Fogem covardemente da responsabilidade dos próprios atos.
Falam besteira, entram em briga, atropelam e matam pessoas quando estão bêbados por que a bebida traz uma sensação de liberdade, é como colocar uma máscara e tudo será esquecido no dia seguinte.
É possível se divertir sem beber, mesmo em festas.
Eu mesmo nunca entendi qual é a graça de encher a cara e ficar vomitando no fim da festa ou desmaiado numa sarjeta.
Realmente eu nunca bebi, já fiz minhas loucuras na vida, mas nunca precisei de drogas pra ganhar coragem pra fazê-las.
Só pode dizer que viveu de verdade que for capaz de assumir cada ação de sua vida.



Eu não nasci odiando alcoolismo, esse sentimento surgiu e foi crescendo cada vez que me disseram “eu tava bêbado, foi mal”.
Outra coisa que me faz lembrar esse meu ódio é lembrar que eu já fui assaltado por uma dupla de bêbados e já fui atropelado por um bêbado também, graças a Deus eu não tive nada mais do que um susto e no máximo alguns arranhões nesses casos, mas se não fosse a bebida eu não teria passado por essas coisas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário